loading...

Um novo posto do Na Hora será inaugurado no Aeroporto Internacional de Brasília – Presidente Juscelino Kubitschek, onde será possível, entre outros serviços, fazer a emissão de passaporte. Segundo a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), a nova unidade será instalada em uma área localizada no 2º piso da praça de alimentação do terminal. A previsão é de que o local comece a funcionar em setembro.

O Termo de Cooperação entre a secretaria e a Inframérica, administradora do aeroporto, para instalações da nova unidade do Na Hora no Aeroporto Internacional de Brasília será assinado nesta quinta-feira (22/6) pelo secretário Arthur Bernardes e por representantes da pasta e da concessionária. A cerimônia, que faz parte das comemorações do aniversário de 15 anos do Na Hora, está prevista para as 18h, no posto localizado na Rodoviária do Plano Piloto.
Desde agosto do ano passado, é possível tirar passaporte apenas no Na Hora do Riacho Fundo I. A decisão havia sido tomada pela Polícia Federal (PF), órgão responsável por emitir o documento. O governo do DF não divulgou a estimativa de custos da obra no Aeroporto JK, porque espera conseguir parte das instalações e do mobiliário por meio de doações. O espaço é cedido, sem gasto com locação.

15 anos de existência

Atualmente o Na Hora está presente em seis regiões: Brasília, Taguatinga, Ceilândia, Riacho Fundo, Gama e Sobradinho. São feitos, em média, 10 mil atendimentos por dia, segundo a Sejus. Em 15 anos de existência, o serviço Na Hora já prestou 30 milhões de atendimentos.

Emissão de passaporte

As pessoas que precisam solicitar um passaporte precisam preencher o formulário disponível no site do Departamento de Polícia Federal e emitir a Guia de Recolhimento da União (GRU), com taxa no valor de R$ 257,25. O interessado deve comparecer ao posto do Na Hora com a documentação, a guia paga e o protocolo do pedido, no dia agendado. A fotografia é feita na hora.
O posto da PF no Aeroporto de Brasília disponibiliza o serviço de emissão do passaporte de emergência. O documento só pode ser feito em casos urgentes, como catástrofes naturais, conflitos armados ou necessidade de viagem imediata por motivo de saúde. A emergência, segundo a PF, precisa ser comprovada, e esse tipo de passaporte não serve para fins de turismo.
Fonte: Correio Braziliense

Comentários

''